Energia e Desenvolvimento no Brasil


Caminhos para um planejamento energético que faça com que a população brasileira, até 2040, alcance um nível de vida comparável ao dos países da União Europeia atualmente.

Prof. José Goldemberg

05/2020            [estudo E+]



 

O Instituto E+ Transição Energética apresenta o estudo “Energia e Desenvolvimento no Brasil”, de José Goldemberg, professor emérito do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da USP. Neste trabalho, o professor revisita o artigo publicado por ele em 1998, onde demonstrava o impacto da energia no desenvolvimento social e como o Brasil poderia obter a energia necessária para atingir o nível da União Europeia na qualidade dos serviços básicos oferecidos à população (alimentação, habitação, saúde, água, esgoto, educação).

À semelhança do primeiro trabalho, este artigo apresenta uma estimativa da energia necessária para dar à população brasileira, até 2040, um nível de vida comparável ao dos países da União Europeia atualmente. São analisados os recursos e reservas energéticas do país e as possibilidades que atendam às necessidades previstas. É dada uma ênfase especial ao papel da eficiência com que estes recursos são utilizados e à adoção de tecnologias avançadas, evitando assim repetir a trajetória poluente, utilizadas no passado, pelos países industrializados. São discutidas ainda as políticas públicas na área de energia que poderiam levar o país a um desenvolvimento sustentável.

O professor avalia que o desenvolvimento do Brasil só será possível se o país orientar suas políticas públicas ao aumento da eficiência energética. Enquanto os outros países têm ficado cada vez mais eficientes em converter energia em riqueza, reduzindo sua intensidade energética, o Brasil se mantém numa rota contrária. O uso ineficiente da energia se reflete na baixa competitividade internacional da indústria brasileira.