Resumo:

O estudo discute a inclusão do mecanismo de resposta da demanda nos leilões de reserva de capacidade, como o certame do segundo semestre de 2024. A ideia é utilizá-lo como uma alternativa limpa, competitiva e flexível que garanta a confiabilidade do sistema em meio ao avanço da participação das fontes variáveis – particularmente eólica e solar – na matriz elétrica brasileira.